quinta-feira

"Tem vírus espalhado por aí"



Essas palavras vieram da gestora de Recursos Humanos da minha empresa. 
Antecedentes: uma funcionária havia contraído conjuntivite viral e solicitou a sua assistente para que avisasse aos demais setores. E isso foi feito para que os demais colegas que tiveram contato com a mesma pudessem tomar medidas preventivas como, por exemplo, lavar a mão. 

Há alguns meses eu não tenho tido boa relação com a responsável pelo recursos humanos, especialmente por alguns posicionamentos preconceituosos que não cabem em ambiente de trabalho. 

Desde que entrei nesta organização (há mais de um ano), eu esclareci para meu chefe imediato que vivia com HIV. A intenção era buscar as medicações e freqüentar as consultas sem precisar explicitar para o RH que estou me tratando com infectologista. Alguns meses depois eu percebo algumas tentativas (frustradas) da funcionária do RH em falar sobre HIV comigo. Tenho quase certeza que meu chefe falou algo para a mesma. 

Ontem, no momento final do expediente, a responsável pelo RH entrou no meu departamento e falou com todos os funcionários:  "Tem vírus espalhado por aí", em um tom sarcástico, misturado com um humor típico de pessoas que vivem na bolha do preconceito. 

Me senti péssimo na hora e ninguém fez nenhum comentário. Silêncio total. Essa situação me mostra o quanto eu devo me preparar para lidar com o preconceito, mesmo quando não opto por falar sobre o vírus. Fui pra casa e a noite não conseguia pensar em outra coisa, se não isso.  

Não quero que minha vida privada vire chacota protagonizada por seres insignificantes para mim, e ao mesmo tempo, como ainda não falei com minha mãe sobre o vírus, não me sinto a vontade para me assumir no ambiente de trabalho. 

Vale sempre lembrar da velha retórica da Campanha de 2009: "Viver com AIDS é possível, com o preconceito não!"

5 comentários:

FOXX disse...

nossa, e vc não fez nada? reclamar com seu chefe por ex?

Fernando Munhoz disse...

Cara, eu fiquei besta com o seu texto e sabe, eu fico muito triste, muito mesmo, de saber que existam pessoas assim. Quando eu trabalhei em um hotel, a primeira coisa que fiz foi contar a todos que sou gay... assim no mesmo momento filtrei as pessoas e acredite: a maioria ficou do meu lado... Eu acho que você deveria tirar isso limpo pois, a sua vida pessoal, os seus problemas, a sua condição, em nada absolutamente interferem no seu comprometimento e profissionalismo, por isso tire a limpo. Se ainda não perceberam que devem te respeitar, façam perceber. Leve desaforo pra casa não rapaz! Um bjão

Latinha disse...

É duro perceber como as pessoas podem ser más e mesquinhas... mas faz parte, você precisa se fortalecer, se preparar para poder passar por esse tipo de coisa!

Vi uma matéria muito bacana e lembrei de ti, é um blogue que virou livro, sobre um cara que também se descobriu soropositivo. Só vi pessoas falando bem sobre o blogue e o livro... quem sabe você curte também

http://www.umavidapositiva.com.br/

Um grande abraço! ;-)

Raphael Martins disse...

Não se permita sofrer por pessoas sem caráter como essas, querido.

Ro Fers disse...

Essa situação daria um processo, houve preconceito com discriminação.

Como há pessoas que sentem-se imortais, e não passam de um bolo de carne insignificante!