sexta-feira

HIV e Rejeição

Certo dia resolvi fazer um teste e contei para um cara que conversava na internet pela web cam que era portador de HIV. Como? Simples: enviando o link do meu blog. 
1
2
3
4
Antes que eu pudesse contar até cinco ele me bloqueou. Obviamente que fiquei mal, e triste pois o papo até então tinha fluido bem. Sabe quando acontece aquele lance "namorinho"? Pois é. 
Recentemente resolvi repetir a dose, já que estava viajando e assim não arriscaria meu sigilo. Mais uma vez o papo fluiu e eu gostei. Resolvi contar novamente para buscar lidar melhor no caso de uma possível rejeição. Dessa vez não fui bloqueado de cara. O bloqueio se deu no decorrer do tempo e com o passar dos dias. Torpedos não respondidos, ligações não atendidas... uma forma mais cruel de rejeição, pois se disfarça numa aceitação que não é real. 

Viver com HIV implica em ter que trabalhar bem a cabeça para não enlouquecer com tantas porradas sociais que batem na cara. A cada rejeição uma nova aprendizagem. 

To de saco cheio de: "Nossa, você é bonito! Que pena!" Ctrl +Alt + Del

Há um tempo achava que era uma peneira e que somente as pessoas especiais conseguiriam transcender a barreira do preconceito. Grande bobagem! Se você assume de cara ninguém te quer. E sabe por que? É muito mais fácil não ter que lidar com uma questão que até então não é sua e que você não quer que seja. Imagina se sua família descobre que você tá namorando um soropositivo?

Esses testes via msn me serviram para mostrar que não se deve falar nada. O sofrimento virá de qualquer jeito. Seja pela via da omissão (sofrimento por não poder compartilhar algo que é central em seus problemas com alguém que você está conhecendo) seja pela via da rejeição. 

Hoje penso que não falar é a melhor opção. Permite que a pessoa te veja também como uma pessoa, sem a tatuagem do HIV na testa.


37 comentários:

Aclim disse...

Niguém por aí quer problemas. Seja com HIV ou outra coisa qualquer que posssa tirar o sujeitinho(a) da sua rotina ou da sua vidinha "normal", ou até mesmo da sua preguiça mental.

_"Quem estes pensam que são, para me afrontar?"

Existem grupos que pensam "igual" e lutam por sua justa causa. Vai contrariar pra ver....rs...neh?

Abçs

FOXX disse...

ow qrido
vc não merece isso
da vontade de socar todas as pessoas do mundo por te tratarem mal...
se eu tivesse a oportunidade de uma pessoa como vc se interessar por mim eu não desperdiçaria de jeito nenhum...

Lobo disse...

Eu sou ultra hipocondríaco. E provavelmente seria um que correria, sendo ultra sincero. Algumas condições tornam as coisas mais difíceis para umas pessoas do que pra outras, mas eu sempre digo que nessa vida tem gente de tudo que é jeito, e maluco pra todas as coisas. O foda é esperar a sorte resolver colaborar.

Legal não é. Tomar tapa na cara nunca é. Mas depois de um tempo até tapa na cara para de doer.

Abraços.

Margot disse...

Oi Ag,(tenho sempre que ter um nome a quem me dirigir. Mania de atendente), pois é. A desinformação faz isso e também um certo preconceito internalizado, além de muita ignorância cultural. Pessoas assim não valem a pena. Você não perdeu nada. Conheço e convivo com pessoas que são Soro+ a mais de 20 anos e nunca desenvolveram doença alguma, e nem mesmo a transmitiram a outros. Responsabilidade... é só isso o necessário. E é claro, isso você tem de sobra.
Abraços

Alguém Por Aí disse...

Aclim, grupos que pensam igual sim tem... o difícil é encontrar.

Foxx cada vez mais afirmo que você é um fofo. Mais uma vez parabéns pelo livro!

Lobo, lamento pela sua hipocondria. Não entendi a parte “maluco pra todas as coisas”. Você acha realmente que quem se relaciona com soropositivo é maluco? É lamentável ler isso, especialmente por ter sido dito por uma pessoa que não é desinformada. Você estuda biologia, né?!

Margot, seus comentários são sempre bem vindos. Obrigado pela contribuição. Espero que seus amigos soro+ estejam bem. Beijão

Lobo disse...

Nãaaaaaaaaaaaao.

Maluco é só uma forma de dizer que eu costumo usar. Não uso o termo no tom depreciativo que as pessoas geralmente atribuem a ele, de pessoa com distúrbios psíquicos graves. Pra mim, todo mundo é maluco. Ou você conhece alguém que não seja nem um pouquinho fora do normal? Na verdade, tudo começa com o conceito e o referencial de normalidade, mas isso é assunto que rende posts e posts inteiros :p

O que eu quis dizer foi apenas que da mesma forma que existe gente que acha o maior barato descer a estrada da morte numa bicicleta sem freio com um abismo de 1km do lado, tem gente que acha que é suicídio. Tem gente que se amarra em ficar 12h por dia nos seus joguinhos no computador, tem gente que acha que é um desperdício de vida. Tem gente que adora ficar sozinha em casa, e tem gente que odeia. Da mesma forma, existem as pessoas que veem na soropositividade uma barreira, e as pessoas que não. Apenas isso. No mundo tem pessoas e pessoas, e da mesma forma que existem essas pessoas que você relatou que te bloquearam apenas por causa disso, existem as pessoas que não veem o menor problema nisso.

Espero ter esclarecido.

Um beijo.

Ro Fers disse...

Isso demonstra que essas pessoas só amam a si próprio acima de tudo, se acham perfeitos, imortais...
Ignorá-los é o melhor remédio.
Abraços

Alguém Por Aí disse...

Lobo, você esclareceu o quão preconceituoso você é. Mas também não sinto ser meu dever quebrar seus estigmas se você vive bem com isso. "Ser um que correria" de um soropositivo e se esconder na hipocondria pra mim é só uma forma de tornar seu preconceito socialmente aceito. E se você tem um discurso tão alinhado com a reforma psiquiátrica como se diz ter, sugiro que repense a utilização dessa expressão, que ao meu ver só reforça rótulos associados aos "loucos/malucos" já tão discriminados. Um beijo, ou melhor, um tchau de longe pra não se sentir um hipocondríaco contaminado.

Ro Fers, continuo a nadar, como diz a linda Dori. rs Cresço com eles.

Bjs

Gato Van de Kamp disse...

Ui...

Eu confesso que eu fiquei horrorisado quando eu li... Fiquei pk eu já fico horrorisado com que fica off line no msn quando nego bota a foto, sabe??? Ainda mais diante disso... E pra mim isso tudo é tão natural que.... Bem.. Vale narrar um fato que nem comentei outrora.... Mas tenho um tio soropositivo e na ocasião em que ele se descobriu soropositivo.. Tipo... Minha família teve várias reações mais em momento algum por parte de ninguém houve qualquer coisa do nivel afastamento e sei lá.. Isso não era nenhuma possibilidade pensada, não pk somos bonzinhos, mas pk realmente não tem sentido... Pra não dizer que nada mudou eu devo assumir que passei a preferir ter o meu barbeador no meu qrto pk as vezes ele, meu avô ou eu mesmo usavamos e deixavamos na gaveta pra usar uma segunda veze ai não dava pra saber exatamente era de quem... Enfim... A verdade é que era o mais higiênico a ser feito idependente de qualquer coisa e a situação acabou apenas reforçando of ato...

E ai eu fico me pergutnando que tipo de gente teria esse comportamento e opa... Eu leio o comentário do lobo e toda essa discussão cagadíssima em cima de saúde mental... Ora Senhores... Que convesa fiada, né??? A gente bem sabe o que o lobo falou e que isso não tem nada a ver com os “portadores de transtorno psiquico” (putz...) e muito menos com a ideia de “todo mundo é louco”, pk se fosse o comentário não faria menor sentido... O que ele tá querendo dizer é que tem gente específica que tah disposta a segurar essa situação que ele entende como uma pica gigante... Mais a preocupação é que se o Lobo que é um cara que tecnicamente é instruido a cerca disso tudo tah pintando o diabo tão mais feio quanto de fato é, eu fico pensando as pessoas de uma forma geral.. O cara tá me dizendo que assim com o os outros correria de alguém soropositivo diante de uma conversa no MSN e me vem com papo de hipocondria?? Que merda é essa?? Tah com medo do virus pegar no computador, caraí???

Enfim... To horrorisado.... O que eu tenho mais a falar te falo num espaço em que ng mais leia “alguem”.. Fica entre nós...

FOXX disse...

hipocondria pra desculpa de preconceito pego tão feio, ficava bem melhor dizer, e é o que eu acho q as pessoas deveriam dizer no msn tb: olha, vc é um lindo, mas eu não conseguiria me relacionar com alguém HIV+. ponto. simplesmente, assume seu defeito, é simples, assume seu preconceito e todo mundo vai em frente e pronto. detesto desculpas.

Alguém Por Aí disse...

Nossa Gato, arrasou! Foxx, seria, no mínimo, honesto. Beijo pra ambos!

Cara Comum disse...

Bom, há uns tempos atrás, eu disse aqui nesse blog que não sei se me relacionaria com alguém soropositivo simplesmente porque não sei se daria conta da pressão toda que vem associada (dos amigos, das famílias, etc.). Não sei se eu e a pessoa seríamos capazes de neutralizar o efeito negativo do povo ao redor.

Hoje, eu digo que já me apaixonei por alguém soropositivo sem saber...

O fato é que quando se tem um objetivo de começar um namoro (e isso não foi uma possibilidade que pegou a gente de surpresa porque surgiu no curso de uma amizade), temos a tendência de "objetificar" o pretendente. E, como objeto, fica mais fácil descartá-lo por qualquer característica/qualidade que não nos agrade, que nos gere insegurança ou perspectiva de que será preciso algum esforço para se adequar ou adequar a situação, etc.

Ou seja, a rejeição pode vir não pelo preconceito em relação aos soropositivos, mas porque o outro te enxerga apenas como objeto e não como uma pessoa. Por isso, acho que o ideal é fazer isso que vc falou: contar só num segundo momento, com mais segurança...

Recomendo a leitura deste texto, pra meu comentário ser melhor entendido:

http://www.casalsemvergonha.com.br/2012/04/25/da-proxima-vez-em-que-disser-ele-so-quer-me-comer-lembre-se-disso/

Beijos, lindão!

Gato Van de Kamp disse...

Eu até concordo com o Cara Comum, acho que é por ai mesmo, qdo as pessoas saem pra buscar um namorado, buscar um amor, estão atrás de um pacote pronto sem entender o elementar que é a ideia de que o amor se constrói é com o tempo, com a vida... Não essa coisa maluca em que vc acha alguém que caiba nos seus sonhos da um status de namorado a ela do dia pra noite vira prioridade na sua vida em detrimento de "n" coisas e pessoas.

Pensando sob essa ótica, naturalmente ser soropositivo acaba sendo um fator eliminatório, sai de dentro do meu quadrado de homem ideal, assim como muitas outras coisas e é exatamente por esse motivo que as pessoas omitem uma serie de coisas nos primeiros encontros e vão se mostrando passo a passo...

Mas foi como falei, fico horrorizado com quem bloqueia ao ver uma foto o que dirá mediante a um fato desses, pk acho que falta solidariedade, falta se colocar no lugar do outro... Não que eu ache que o cara deveria ficar por pena, não se trata disso.. Mas a maneira que faz sem cerimonia me faz pensar no qto nego tah cagando pelo impacto que tá causando na vida do outro... Nas marcas que tá deixando...

Ai qdo os Wellington Mezes da vida surgem e metralharam um monte as pessoas chamam de mostro, apontam e ficam perguntando o que leva um cara a fazer isso, agindo como se nem fosse com elas, como se nada tivessem a ver com tudo isso.

Fred disse...

Falar ou não falar é decisão exclusiva tua e deve ser tomada pensando apenas no TEU bem estar e não do dos outros. Eu não vejo nenhuma tatuagem na tua testa... lamento dizer... quem sabe se eu puder olhar mais de perto... hehehehehe... claro que ambos devemos estar de sunga - para facilitar a visão, entendZe????
Hahahahahaha!
Beijão, meu gato!

Alguém Por Aí disse...

Cara Comum, Assim como você comentou neste blog há um tempo, boa parte das pessoas no Brasil e no mundo não se relacionariam com pessoas soropositivas. Quanto à neutralizar o efeito negativo do povo ao redor... acho que você tem o direito de decidir não se relacionar com qualquer pessoa baseado em qualquer pensamento, inclusive os que estão na base de preconceitos (direta ou indiretamente) como os explicitados. Mas pra mim nada justifica bloquear uma pessoa do MSN em função disso. Isso é um exemplo claro de discriminação. Concordo com você que muitos não conseguem "neutralizar" a condição de viver como soropositivo... por isso se matam, não tomam medicação, ou simplesmente desistem de viver.
Acho que não deveríamos pensar em namorar na primeira conversa que temos.... esse processo se dá com o passar do tempo e conhecendo as pessoas. Mas é fato que as pessoas tomam decisões baseadas em estereótipos (que você muito bem definiu como objetos) e pra mim isso sempre se dará pela via de conceitos pré concebidos. No caso, preconceito, sim, contra soropositivos, negros, pessoas que não se enquadram no padrão de beleza estabelecido, etc.

Gato, você explicitou muito bem o que também penso.

Fred, será um prazer estar de sunga ao seu lado.

Anônimo disse...

Pablo disse:
Nossa, polêmico o assunto! O engraçado é que eu achava que o Lobo era só mau, mas agora eu descobri que ele é hipocondríaco também. Lástima! Não consigo aceitar o preconceito de forma alguma. Já passei por diversas situações de preconceito por ser negro, homossexual, pobre e uma série de outras coisas. Independendo da forma que ele se manifeste ou como chega, ele sempre dói. Com o tempo vai machucar menos, mas não há como evitar a dor.
Tenho certeza que você vai criar habilidades para lidar como ele. Não importa que seja escondendo ou assumindo abertamente. Você vai aprender a resistir, assim como aprendeu a ser forte diante da condição de ser soropositivo.
Saiba que o preconceito está nos outros, não deixe que ele seja passado a você. Existem muitas pessoas desprovidas de preconceitos e muito mais pessoas dispostas a se livrar deles. Não esmoreça, pois quando surgir alguém que realmente mereça estar ao seu lado, não haverá preconceito que impedirá a união.
Não seja a Chapeuzinho Vermelho, não se deixe levar pelo papo do primeiro Lobo que aparecer na sua estrada. Não se irrite, apenas continue vivendo. Bj!

Anônimo disse...

É natural ter algum tipo de preconceito. O que não é natural é levantar bandeira em prol dele. Ainda que se pense "não ficaria com um soropositivo", não se deve dizer. Quanto mais escrever em um espaço utilizado para discussão do preconceito.

Lobo, o que exatamente você queria com sua fala? Dizer: "sou preconceituoso mesmo. Vamos todos colocar nossos preconceitos a mesa, assim nos reforçamos e nos permitimos viver perpetuando essa mediocridade"???? Achou que seria cool falar a verdade??? Tenha vergonha do seu preconceito!!! Até onde eu sei você é leitor assiduo desse blog. Nem lendo toda a angustia que é se ver nesse lugar de uma hora pra outra você questionou e sensibilizou os pré-conceitos que possui. Nem a sua "instrução" te permitiu racionalizar o seu medinho...

Na contra mão do que tem sido dito, vou admitir que sou preconceituosa. Tenho pavor de gente burra e tacanha. Não, não coloco nesse bojo todas pessoas que discordam de mim. Mas sinceramente coloco pessoas que não se questionam, não se implicam, não se ouvem e perdem com isso oportunidades incríveis de crescerem, melhorarem e se adaptarem à vida.

Helena

Alguém Por Aí disse...

Querido Pablo, você mais do que qualquer pessoa tem acompanhado de perto, desde o início, como tem sido pra mim enfrentar essa barra com todos seus altos e baixos que a situação demanda. Sabe que não sou apenas essa pessoa triste que demonstro neste blog. Realmente sempre que sou vítima de preconceito, especialmente as situações advindas desta convivência com o vírus como a supracitada, vejo a fragilidade que me encontro e a necessidade que ainda tenho de aprender a lidar com isso, afinal não vivo numa bolha. Lobos e outros ANIMAIS virão para personalizar como a sociedade me trata, sem pena e cruel, como é toda e qualquer forma de discriminação.
Nossa Helena. Quando li sua resposta pensei: não pode ser de outra pessoa. Hehehe Concordo que as pessoas não querem se relacionar com soropositivos em função de seus preconceitos ou de seus familiares, como foi colocado aqui. Mas discordo acho que as pessoas devem falar isso, até mesmo para que possibilite que isso seja quebrado, embora imagine que esse não seja o caso.
Agradeço a Deus todos os dias por ter amigo como vocês. Sei que tenho que aprender diariamente a lidar com isso. Embora não pretenda assumir o HIV, muitas vezes o preconceito está em falas que não direcionadas para mim e sei que não vivo numa bolha. Ou aprendo a lidar com ele, ou ele me sucumbi.
Um beijo pra ambos!

Ricardo disse...

Alguém Por Aí, nós nunca conversamos e nunca nos conhecemos, assim como não conheço qualquer pessoa da BlogsVille como alguns gostam de chamar ou Bloguesfera. Mas, sempre tomei a liberdade de acompanhar a vida de alguns de vocês.

Posso comentar que acompanho (como sou bastante íntimo...rs...também tomei a liberdade de citá-los aqui) o Foxx com suas narrativas históricas e seus sentimentos em relatos muito pessoais no Estórias do Mundo. O César, com suas escritas muito bem “ditas” e que prendem a atenção e sempre me levam de volta ao Efemerinetidades e também me apossei da liberdade de acompanhar você aqui no Ninguém Por Aí principalmente pela sua postura com a vida e a forma com que você encara suas dificuldades e barreiras na busca pela retomada da sua própria história.

Resolvi escrever hoje (“um pouco” atrasado...rs.) porque senti que poderia falar um pouco do que penso sobre essas situações de preconceito.

Diante de atitudes tão preconceituosas, tanto dos dois que te encontraram pela vida como do que lhe escreveu, infelizmente ou felizmente, todos nós temos formas de pensar e agir muito específicas da nossa própria história e isso nos leva ao desenvolvimento de alguns preconceitos, todos nós temos preconceitos (ao menos um...rs.), porém, o que eu não admito é a falta de respeito e acredito que foi esse o sentimento que você vivenciou nestes momentos.

A falta de respeito sempre nos atinge, por mais que as palavras dos amigos sejam: “Siga em frente” ou “Não dê ouvidos a esse tipo de gente”, etc. Não importa! O desrespeito sempre vai nos atingir.

E concordo com você, os preconceitos devem ser revelados, mas, com o devido respeito, consideração e emoções afins que todos nós merecemos.

O que eu digo a você é: Seja forte! Não desista de retomar a sua própria história! Não deixe que o HIV seja o protagonista da sua vida. É difícil, eu sei, a batalha é árdua, mas, tenho fé de que você conseguirá, ainda mais com o apoio de todos estes amigos dos quais, li comentários de muito apoio, força e carinho.

E desculpe por escrever tanto...hehehe.

Um beijo e cuide-se...sempre.

Alguém Por Aí disse...

Que bacana receber um comentário tão especial como o seu. E legal também saber que você tem um excelente gosto pra blogs... Foxx, Cesar...

Eu não tenho um preconceito não, tenho vários. E busco combatê-los a cada vez que eles se repetem... Como diz tio Freud: repetir, recordar, elaborar, né psicólogo? rs Realmente, o desrespeito sempre nos atinge. A frase "com o tempo me acostumo" não se enquadra, a não ser que eu elabore estratégias de enfrentamento ou mesmo fuga e esquiva, né?!

Com relação ao protagonismo... atuo com o "vírus" que sempre quer roubar a cena, mas estou certo de que nesta novela o protagonista sou eu. hehehehe

Meus amigos são realmente lindos!! hehe Pena que minha promoção acabou... migrem pra TIM, please! hehehe

Um beijo grande e muito obrigado pelo lindo comentário.

Gato Van de Kamp disse...

Acho que depois de todos esses comentários a conclusão que chego MAIS UMA VEZ, é que quem realmente importa não vai deixar de te abraçar... Um ganho secundário do HIV e até do preconceito é o fato do vírus ser um repelente pra quem não vale a pena.

Prisioneiro 0001 disse...

Essa sensação de rejeição é péssima, seja por q motivo for... =/

Abraços e força na labuta diária q é viver querido.

Lobo disse...

Visto todos os comentários e todo o problema causado, só me resta me desculpar pelo ocorrido e pelos comentários.

Não acontecerá novamente.

Abraços

Ricardo disse...

Já ia te perguntar como você sabe que sou psicólogo...hehehe...e nesse instante me lembrei que existe o perfil né!? Fui até ver o que tenho lá porque nem me lembro mais.

Vou tomar a liberdade um pouco mais porque não comentei tudo que tive vontade...rs.

Alguém Por Aí, pelo que já li sobre você, acho que você vai me entender.

O comportamento preconceituoso pode surgir a partir dos mais diversos sentimentos, desde a ignorância que é a mais conhecida, mas, existe uma outra que é bem frequente e quase não existem pessoas que a percebem...o medo.

O medo também leva ao desenvolvimento de um comportamento preconceituoso, falo sobre o “comportamento preconceituoso” e não sobre o pensamento ou a crença preconceituosa. Eu não acredito que a pessoa que aqui comentou realmente acredite naquele pensamento preconceituoso, na verdade eu vi alguns medos e inseguranças (e que ele se manifeste se eu estiver enganado porque eu também não o conheço...rs...desculpe a liberdade mais uma vez), e esses sentimentos se manifestaram através do comportamento, uma atitude, uma escrita.

Se vocês forem amigos, o que eu acredito que são porque vejo sempre os comentários, acho que vale a pena uma conversa, privada, para que entendam melhor as colocações um do outro. Até porque, na escrita não temos a pessoa, as expressões, os gestos e aí, tudo pode ser interpretado de forma confusa e até mesmo errônea.

Não deixe de “acreditar” nas pessoas, assim como você não deixa de “acreditar” em você mesmo.

Um grande beijo e cuide-se.

Três Egos disse...

Li apenas de relance alguns comentários e acredito que seja porque todos querem viver ou encontrar alguém perfeito, viver no seu castelo, ter seu príncipe encantado e, se possível, ter uma mina de ouro. E apenas isso. Também vivo um dilema que é contar ou não sobre o que tenho no primeiro contato. Não é HIV, mas não deixa de ser algo semelhante. Até hoje não tirei nenhuma conclusão, mas vou vivendo e tentando conhecer pessoas que realmente não se importam. Abraço

Latinha disse...

Olá! Tudo bom?! Eu não sei bem como vim parar no teu blogue, mas achei esse teu texto muito bacana...

Olha... complicado hein... eu já me vi confrontado com uma situação parecida, quando uma pessoa muito próxima se envolveu com uma outra pessoa hiv+.

Para resumir uma longa estória, a pessoa não contou que era hiv+ e "fugiu" de um maior envolvimento. Eu sei que a pessoa provavelmente teria aceitado e encarado a situação... mas confesso que fiquei me questionando uma série de coisas.

No fundo, acho que o melhor seria todos serem sinceros e estarem abertos as descobertas.

A busca é árdua, mas tomara que possa encontrar alguém a buscar essas respostas contigo!

Volto mais vezes! Com certeza!

Abração!

Alguém Por Aí disse...

Olá Gato, felizmente muitos amigos têm me abraçado. Eles têm sido importantíssimos pra mim.
Prisioneiro, rejeição nunca é bom, né?!
Lobo, se o pedido de desculpas não viesse precedido de “visto os comentários”, ou seja, se realmente partissem de você, sem ter que se esconder atrás do “Coitado Lobo Mau que causou o problema” , seria no mínimo, aceitável e quem sabe esse pedido não indicasse uma possibilidade de mudança de pensamentos. Lamentavelmente não é o seu caso. Sábias palavras: “não acontecerá novamente”. Aplausos
Ricardo, adoro gente que “ainda não comentou tudo”. Ignorância e medo certamente são motivadores de preconceitos. Muito bem pensado. Agora se a manifestação do preconceito dele está na esfera comportamental ou cognitiva realmente não me importa. Se estiver incomodando ao mesmo espero que trabalhe na terapia, e se possível sem direcioná-los para mim. A pessoa que aqui comentou já havia me ferido antes e dessa vez resolvi comentar o que penso. Espero que possamos conversar mais muitas outras vezes... ninguemporai01@yahoo.com.br Alguma dúvida quanto amigos? RS
Três Egos, obrigado pela força. Eu também vou vivendo, embora as vezes sinta a necessidade de jogar a pressão no ninguemporai, hehehe. Salve a catarse que os blogs permitem!! Bjs
Latinha, adorei a frase ”todos serem sinceros e estarem abertos as descobertas”. Afinal se relacionar é sempre um mundo de descobertas, né?! Seja amorosamente ou não.

Henrique disse...

Bom... primeira vez que comento aqui, apesar de acompanhar algumas postagens... meu namorado é mais assíduo, e vendo este de hoje juntamente com os comentários, resolvi falar também...

Tudo é muito bonito no papel, tudo é lindo em forma de palavras, mas sempre muda quando se está cara a cara. Muita gente é movida a base da hipocrisia, e quando um se manifesta de maneira contrária, é recebido a pedradas. Ora, o que é isso? Ditadura militar?

Todos nós temos bons conhecimentos sobre HIV. Informação não falta, internet, TV, escolas. Não só sobre as formas de transmissão do vírus, mas também sobre as formas de não transmissão. Várias reportagens inclusive já mostraram casais, um + e outro -, vivendo plenamente sem a menor dificuldade.

Porém, o medo sempre existe, isso ninguém pode negar. Até o próprio portador tem esse medo. Então, tudo tem que ser medido, ponderado, qualquer deslize pode sim causar desconforto pra ambos. Por isso, algumas pessoas optam por não se relacionarem com +, e isso pra mim, não tem nada a ver com ser preconceituoso. É, digamos, um "estilo de vida" que nem todo mundo prefere seguir...

No entanto eu acho que, quando o amor entra na história, esse "obstáculo" chamado HIV é facilmente contornável, diminuindo qualquer tipo de medo. E amor, não se compra na padaria, simplesmente acontece quando menos se espera... (isso é conto de fadas?)

Pra resumir, se uma pessoa que se relaciona com você, ao saber da sua positividade, esclarecer o ponto de vista dela e dizer que "não rolará nada", não pode ser taxada de preconceituosa... agora, se agirem como nos seus dois casos no MSN, simplesmente sumindo, isso sim... é o exemplo citado da foto... olha, e bloqueia. Isso é horrível.

Seguimos em paz na blogosfera, ok?

Hugs!

Margot disse...

Tenho seguido esses comentários e assistido as consequências dos mesmos.
Digo então, que assino embaixo de tudo o que o Henrique disse acima. Taxar alguém de preconceituoso e nessa "suposição", julgar sem uma segunda vista d'olhos no dito comentário, é para mim no mínimo...irresponsável. Ainda mais que, cada um de nós tem seus próprios preconceitos e medos à trabalhar.
A blogosfera, e cada blog em sí é um espaço livre, uma vez que, escrevemos o que queremos e "uma vez abertos a comentários", escutamos ou lemos o que quiserem escrever ou comentar. Se não quero ler opiniões contrárias às minhas, fecho para comentários,simples!
Aproveitar o blog para fazer uma catarse, é direito nosso, uma vez que o blog é nosso. Mas não é nosso direito, jogar essa pressão em pessoas específicas. Como eu já disse antes e troco em miúdos agora, "quem fala o que quer, e fica a espera de respostas, geralmente escuta o que não quer".
É um ditado a ser aprendido por todos nós, para não estarmos na iminência do arrependimento, e da perda da amizade de pessoas que realmente valeriam a pena cultivar.
Até mais

Anônimo disse...

Olá Henrique,

Seja bem vindo! Se você observar os meus comentários e textos anteriores perceberá que em nenhum momento condeno a opção de pessoas não quererem ter um relacionamento afetivo-sexual com soropositivos. Crítico atitudes como o bloqueio no MSN.
As pessoas podem ter "estilos de vida" e "hábitos saudáveis" diversos, algumas optam pelo "estilo de vida" de não se relacionarem sexualmente com negros, outros com "orientais", etc... e por mais que eu acredite que sejam sempre "estilo de vida" embasados em concepções pré concebidas acho que as pessoas tem o direito de escolherem com quem querem se relacionar. Todos temos preconceitos. O erro é não enxergá-los e repetí-los indiscriminadamente. Elas não possuem o direito de ferir qualquer pessoa por qualquer atributo que seja, e este é o foco da discussão. Entende a diferença?

Hoje mesmo tive uma atitude preconceituosa... aqui no Rio (cidade que moro) a cada 50 metros tem um pedinte na rua, muitas vezes com crianças no colo. Opto por não fornecer dinheiro, embora não critique quem faça. Hoje uma mulher com uma criança no colo veio falar comigo e antes mesmo dela terminar de falar eu disse "não" com a cabeça. Infelizmente não percebi o meu preconceito a tempo de corrigí-lo.

O ser humano sempre busca atalhos e formas objetivas e fáceis de preconceito. Quanto ao "seguimos em paz na blogosfera"... acho que esse é um espaço de debates, discussões, construções, desconstruções e reconstruções... se paz significa me calar cada vez que eu me sentir ofendido e discriminado sinto lhe informar que neste espaço você não encontrará isso. Criei esse espaço justamente para lidar melhor com essa terrível situação que me acometeu (HIV) da pior forma que alguém pode ser contaminado. Neste espaço opto por lutar contra qualquer tipo de ofensa a soropositivos ou qualquer ação que me faça sentir melhor. Divulgo pesquisas com casais sorodiscordantes, profilaxia pós-exposição... etc que cada dia mais comprovam que é possível romper com esse medo, como busquei romper com a situação da mulher que neguei informação. É uma questão de sentimento. Também tenho meus preconceitos e buscarei trabalhá-los sempre que percebê-los.

Não venha me dizer que devo me calar com a demonstração clara de discriminação. Não se relacionar com alguém apenas pela sorologia é SIM, na minha concepção preconceito. Talvez você apenas sentisse isso se fosse infectado e talvez minhas palavras aqui sejam em vão.

Algumas vez você já foi discriminado por ser homossexual? Acho que o sentimento é parecido, a gente aprende a lidar com o tempo, se afastando das pessoas que te tratam assim e se aproximando de outras que te veêm como humano, e assim é a forma que lidamos com a discriminação. Agora, por favor, não me peça paz e aceitar o mundo como ele é e as pessoas como elas são se o imperativo demanda mudança. Há 200 anos atrás era "normal" torturar uma pessoa unicamente pela cor de pele e por acreditarem que não possuem alma. Não acho natural descartar alguém por qualquer motivo embasado em preconceitos e estereótipos. Felizmente a sociedade demandou mudanças e farei tudo que tiver ao meu alcance, mesmo que seja através de simples postagens no meu blog, para colaborar com um mundo menos cruel com pessoas que vivem com HIV. Hugs!

Margot, concordo que somos livres para expor nossos pensamentos e sentimentos, e justamente por crer nisto que respeito a opinião de todas as pessoas aqui, mesmo que na minha concepção algumas sejam exemplos claros de preconceitos. Justamente por isso me sinto a vontade para debater essas questões que me cercam e que interferem diretamente na minha qualidade de vida e na de milhares de pessoas que como eu vivem com HIV. E concordo plenamente com a máxima "quem fala o que quer ouve o que não quer". Até mais!

Alguém Por Aí

(não pude logar pois estou no trabalho, rs)

Anônimo disse...

OBS: a mulher com a criança no colo queria apenas uma informação.

Gato Van de Kamp disse...

Mas é tudo tão esquisitamente contraditório... Pk a gente tá com um problema conceitual tão sério neste post que parece que qto mais tenta se esclarecer mais se embola....

O conceito de liberdade de Margot me confunde... As pessoas são livres pra comentar o que quiserem e o autor não tem o direito de contrargumentar??? Acho que arbitrário o autor seria se tivesse excluído o comentário, mas o que temos aqui é uma discussão ponto a ponto...Com argumentos e contrargumentos.... Uma discussão que está se fazendo tão rica motivar alguém a pensar que o autor deveria desativar os comentários é no mínimo esquisito.

E Henrique... Veja bem... Eu entendo o que vc disse... Existem situações em que o autor do preconceito não tem maldade ou a intenção deliberada de ofender, mas isso não faz com que o preconceito deixe de estar presente no ato... Uma pessoa pode dizer: Não tenho problemas com negros, tenho vários amigos negros, mas não gosto da idéia de um negro pra me relacionar.... A gente entende??? Sim, a gente entende... Há maldade??? Não, não há maldade.... Mas o posicionamento tá cheio do racismo que determina os padrões de beleza vigente....

Enfim.... Alguém, não cale mesmo a discussão... Em geral qdo as pessoas resolvem se calar para evitar um problema, o problema na verdade já existe, elas que não querem olhar pra ele...

A situação lembrou o trecho de uma entrevista da Diva Elke Maravilha pra Trip em fevereiro de 2007 que serve para concluir bem a minha fala

"sou filha da guerra. acredito na paz, mas nós não estamos prontos para ela. a gente não pode ter paz por enquanto. não agüento as pessoas que ficam pedindo paz, paz, paz. quando um nobre, como minha mãe, casaria com um russo fodido? só na guerra mesmo. na guerra, ninguém é nada, ninguém é rico, nem nobre, nem porra nenhuma. a guerra nos nivela. no brasil, o fato é que nós só excluímos, excluímos, excluímos pessoas... e não preciso ser socióloga para saber o elementar: se tenho um brinquedo e não divido com meu irmãozinho, um dia ele vai pegar o brinquedo na porrada. e é isso que nós fizemos. nós somos bonzinhos, mas deixamos nossos irmãos na fila do inamps."

Henrique disse...

"As pessoas são livres pra comentar o que quiserem e o autor não tem o direito de contrargumentar?". Parece que chegamos ao "x" da questão...

Está correto, esse é um dos pontos da liberdade, mas infelizmente não foi o que vi. Em uma discussão ou debate, sempre analisamos os dois lados e procuramos o equilíbrio entre eles. Claro, isso não significa que seja possível mudar um conceito formado pelos participantes, mas um fator comum sempre é obtido, e os devidos "recados são dados".

O que aconteceu aqui foi uma "guerra", com um único inimigo. Não houve esclarecimento, apenas dedos opontados pro réu que mal conseguiu se defender. E não estou dizendo isso com ar de um advogado (ou promotor?), apenas como um simples transeunte que ficou assustado com a cena que viu.

"Alguém por aí", você mesmo disse que é cheio de preconceitos e que aos poucos vem trabalhando para diminui-los ou até eliminá-los por completo. Mas seu contra-argumento, bem lá em cima, foi também um ato preconceituoso. E olha só como ele foi reduzido com o retorno que me deu durante seu trabalho! Essa é a paz que me referi, que pode ser plenamente alcançada...

Hugs paulistas, rs!

Gato Van de Kamp disse...

Oi??? Nego vem pro blog de um soropositivo, num post em que este diz ter se sentido mal pela discriminação de duas pessoas que se afastaram dele num contato virtual, dizer que faria a mesma coisa por que é hipocondriaco e virou um réu indefeso???? É isso mesmo produção?????

Alguem tirou a oportunidade dele de falar em algum momento??? Ah não??? Ok então...

Isso é um blog.. Funciona assim: Alguem escreve e as pessoas falam o que pensam a cerca do material escrito, as vezes contra, as vezes a favor.

Veja vc por exemplo, Henrique... Se viu como um mero transiunte que viu uma grande injustiça acontecendo... Veio aki e se posicionou dessa forma.. Eu discordo e to aki me colocando... E é assim que a coisa funciona... Se nego opta por se calar é um direito dele, mas se calou pk quis..

Não tenho nada pessoalmente contra ao Lobo.. Acredito ser um dos leitores que o acompanha a mais tempo... Diversas vezes concordei e tantas outras descordei... Aqui somos discordantes e é só isso... Nada disso o torna a pior pessoa do mundo, na minha opinião foi apenas um colocação infeliz e se to aqui agora e estive tantas outras vezes é por achar que a discussão vale a pena... Só n vem com esse papo escroto de vítima e algoz pk nem o blogueiro, nem o Lobo se colocaram nesse papel... Isso já tá ficando com cara de imprenssa marron....

Henrique disse...

Gato Van de Kamp, só peço que, por favor, leia de novo o que escrevi acima.

Hugs!

Anônimo disse...

gente, barbeador NÃO transmite HIV, hello!

Anônimo disse...

olá
eu nasci com uma doença rara no aparelho digestivo, onde eu não posso comer nada sólido somente liquidos, acredite as pessoas caçoam muito por causa da minha doença, eu tenho um amigão como se fosse meu irmão e ele é soropositivo, ele contou para as duas ex-namoradas dele, que o rejeitaram e ele pegou muita confiança em mim e me contou, nem a família dele sabe disso, o que mais me chateia é o fato de que ele sabe que eu gosto dele, mas ele me magoa muito, procura outras mulheres que nunca vão gostar dele de verdade, as vezes eu acho que até ele me rejeita por minha doença, ele me faz chorar dizendo coisas que me magoam, mas eu já falei para ele que mesmo que com quem ele estiver sabendo do problema dele ou não, eu sempre estarei ao lado dele, mesmo que ele me magoa.