quinta-feira

Contar ou não contar ao parceiro sexual? - Parte II

Há alguns meses atrás escrevi um post pra lá de polêmico intitulado “Contar ou não contar ao parceiro sexual”. Talvez na época em que escrevi tenha me faltado clareza em alguns pontos e vejo a necessidade de explicitar essa questão nesse momento.

Primeiramente esclareço que parceiros sexuais para mim não devem, necessariamente, me passar qualquer confiança a além do prazer sexual. Confesso que tenho mudado muito e diminuído muito o ritmo de minha vida sexual, mas ainda assim transo com um cara que conheço na mesma noite dependendo do nosso apetite sexual.

O fato de não contar ao parceiro sexual a minha soropositividade para o HIV não significa que eu seria capaz de manter uma longa relação com esse segredo (embora não critique quem opte por isso) e muito menos significa que devo expor qualquer pessoa ao risco de contaminação sem que a mesma esteja amplamente ciente desse risco.

O que quero dizer é que transar com um soropositivo não implica, necessariamente, em risco de contaminação desde que o uso da camisinha seja algo acordado. Para conhecer as formas de contaminação pelo vírus HIV clique AQUI .

Somente conto minha soropositividade para pessoas que me transmitem confiança, isso me é garantido pela Declaração dos Direitos Fundamentais da Pessoa Portadora do Vírus da Aids. Certamente nunca esconderia de um namorado, mesmo porque eu apenas namoraria alguém em que eu confiasse, e se eu escondesse seria durante o tempo necessário para confiar nele. Entretanto, em todos os casos, sem nenhuma exceção, independente inclusive do item “confiança”, eu contaria para meu parceiro sexual caso acontecesse um acidente (como por exemplo a camisinha romper, ou qualquer outra forma de risco real de contaminação), pois assim a pessoa poderia evitar a contaminação. Se eu não expor a pessoa ao risco real de contaminação não contaria.
Opto por usar camisinha em todas as minhas relações sexuais entretanto opino que o uso da camisinha é SEMPRE uma responsabilidade compartilhada. Se me contaminei transando sem camisinha também tenho minha parcela de culpa. Obviamente isso tem vários pesos diferentes dependendo de cada caso. Existem casos que a transmissão é proposital, o que condeno como crime que é, outros transmitem sem saber. Cabe a cada um decidir pelo uso da camisinha e arcar com as conseqüências de seus atos (como estou arcando), e cabe a todo soropositivo usar camisinha em todas as relações sexuais, em minha opinião, se optar pelo não uso o parceiro deve estar ciente do risco de contaminação. E como já falei em caso de acidente acho que todos positivos devem avisar ao parceiro sexual para que o mesmo faça a profilaxia.

Como é feita a profilaxia em caso de acidentes? Basta procurar qualquer posto distribuidor de medicação anti-hiv, explicar a situação e seguir as orientações médicas. Esse procedimento é adotado também em acidentes hospitalares e reduz muito o risco de contaminação. Se o soropositivo em questão estiver fazendo tratamento e se sua carga viral for indetectavel o risco de contaminação também cai. Eu sabia dessa possibilidade quando me expus ao risco e não adotei as medidas que deveria. Sugiro a todos que adotem nas situações cabíveis.

16 comentários:

DPNN disse...

Já adicionei o teu blog ao Blogayros e estou aproveitando para conhecer a página. Lá no meu blog eu fiz uma postagem sobre HIV, adorei os depoimentos (inclusive de portadores do HIV), dê uma olhada lá, se tiver interesse.

FOXX disse...

bem, esses pontos nós já tinhamos conversado né?

Alguém Por Aí disse...

Olá querido DPNN! Li sua postagem e comentei. Muito interessante o debate... também ocorreu por aqui na postagem "Relação Mutante" que encontra-se à esquerda entre as mais acessadas. Um abração

Olá Foxx, já conversamos sim, e muito, né?! Inclusive me lembrei de nossa conversa quando estava escrevendo. Um bjao

Cara Comum disse...

Concordo contigo, Alguém por Aí!! Teria a mesma postura em seu lugar...

Abraços!!

Edu disse...

Você é um cara supimpa! Sua postura é perfeita.

Fred disse...

Você é tão delícia que eu mesmo vou levar o bolinho pra ti, tzá? Hahahahaha! Você é um cara supimpa [2]!!!!! Hugzzzzz!

Gato Van de Kamp disse...

Muito bom.. Acho que vale a pena ver seu primeiro e o atual texto sobre o assunto...

O primeiro é muito mais passional, agarrado em preconceitos tolos, cheio de fantasmas e medo da ignorância alheia.

Aki vc está mais seguro do que tá falando, conhecendo melhor o assunto, mais claro, mais objetivo, eticamente bem embasado, super-coerente...

Muito bacana poder acompanhar isso... Nitidamente isso tah evoluindo...

Alguém Por Aí disse...

Cara Comum, você é lindo, mais que demais! Concordando ou discordando preciso de ti!

Edu adorei o supimpa! Fiquei imaginando a pronuncia com o sotaque paulistano. Nossa como to sentindo falta de Sampa. Preciso ir logo aí!!

Fred, eu vou cobrar o bolo, hein?!

Gato, diante da sua observação acabei relendo o post anterior e você está corretíssimo. Obrigado por apontar essa observação! Deu até vontade de apagar o post antigo de tanta vergonha, rsrsrsrsrsrs. Mas é uma referência, né?! Acho que aos poucos to perdendo um pouco a emoção, e escrevendo mais com a razão... sei lá.

Cara Comum disse...

Me sentindo lindo e mais que demais nem que seja na ilusãom por uns instantes... hehe

tecas disse...

Tive de reler o texto anterior para compreender melhor:-) Sabe que escreve muito bem?
Meu amigo, sobre o comentário que deixou no meu blog, o poema ( não sei se reparou),foi publicado no meu livro Singelo Canal em 2008. Pura coincidência! Até porque o publiquei antes, ( ver a data)de o comentar. Quando li o seu comentário, foi a minha vez de chorar. Fiquei comovida...o poema não tem titulo mas foi inspirada na Vida. Bem hja pelo seu comentário e pela sua postura.
Um abraço bem apertado da mamã...além oceanos:-) Bom fim de semana.

S.A.M disse...

E isso aí a postura é essa! Bem explicativo teu post.

Espero que as coisas estejam sussa por ai!

Olha me add no msn depois se quiser :P Abração!

Alguém Por Aí disse...

Tecas, muito obrigado pelo carinho expresso em suas palavras. Meu comentário só retrata uma percepção. Todo resto é mérito seu. Aquela poesia em especial me emocionou muito. Um beijo grande... do lado de cá do Atlântico. rsrsrs

S.A.M., eu te adicionei conforme falou. Vamos papear! Um forte abraço!

Raphael Martins disse...

Postagem hiper- esclarecedora. Parabéns.

Raphael Martins disse...

Adicionei seu blog à minha timeline de favoritos.

Homossexual e Pai disse...

Ei, vc disse que esta postagem era melhor...mas eu achei esta mais esclarecedora! mas com certeza ambas se completam! parabens! vou adicionar vc nos favoritos com certeza

Alguém Por Aí disse...

Obrigado pelo carinho!