segunda-feira

Relação Mutante


Hoje me emocionei muito ao ler esse post do Mutante H. Toca numa ferida que talvez seja comum a todos soropositivos. E os relacionamentos? Como serão daqui pra frente? Você namoraria um soropositivo?
Confesso que evito pensar nessa questão, talvez por ter que elaborar outras questões que tenho como prioridade nesse momento. Certamente sei que ainda terei que lidar com isso.
E para todos os mutantes (forma como o Mutante H chama os soropositivos), digo que assim como são efeitos negativos mil que essa doença traz, também  posso afirmar que como todo mutante “somos mais fortes que os humanos”. Eu quero dizer enfrentar essas barreiras e questões que nos colocam de frente com a morte, dúvidas, medos... nos faz crescer e trilhar caminhos nunca vivenciados antes. Percebo essa mudança em mim.
Penso que um relacionamento sorodiscordante é possível, já vi vários casos, e talvez o HIV faça uma “seleção natural” das pessoas especiais que conseguem transcender essa questão em prol de uma relação saudável (sim, acredite, é possível!) e acima de tudo com amor. Entretanto entendo também o medo das pessoas que não pensam na hipótese de se relacionar com um portador desse vírus. Não estou aqui levantando uma bandeira, pois acho que certamente é uma decisão difícil que requer questionamentos e transcendências que nem todos estão preparados.
Hoje deixo mais uma música para o HIV e muita sorte e sabedoria para todos que vivem esse momento de sorodiscordância. 

Dedico essa postagem ao Mutante H.

13 comentários:

Gato Van de Kamp disse...

Perfeita sua colocação a cerca da seleção natural... Super-concordo...

FOXX disse...

eu namoraria alguém soropositivo, agora alguém namoraria comigo? soropositivo ou não? fato, sabemos q ninguém me namoraria né?

Ro Fers disse...

Você escreve de uma maneira tão profunda, que me encanto, pois mesmo você estando (em hipótese) "abatido" psicologicamente, você demonstra ser forte, valente, e isso é bacana.
Apesar de que eu posso estar enganado, pois palavras escritas são interpretadas de várias maneiras, visto é diferente de um contato físico em que ha a expressão "olho no olho", tom de voz, enfim...

Mas quanto ao seu post, entendo seu ponto de vista, e acredito muito em destino, seja nas simples coisas à fatos mais complicados na vida, portanto, relaxa, as melhores coisas acontecem quando menos esperamo...
Concerteza Deus deve está reservando pra ti uma pessoa que estará sempre ao seu lado...
Forte abraço!

Lobo disse...

É justamente a adversidade que nos torna pessoas mais fortes. Não fosse pelos nossos karmas, talvez nunca chegássemos a reflexões e crescimentos pessoais que nos transformaram no que somos hoje.

Mas eu confesso que ainda não transcendi ao ponto de conseguir manter um relacionamento com um Soropositivo.

S.A.M disse...

Olha, tenho alguns amigos soropositivos, um deles é uma biscate! kkk Vive com um boy aqui e outro acolá e os caras sabem.

Tenho um mesmo que tem uns 28 hoje e namorou anos a fio tranquilamente. Acho que quando você se depara com alguém que não consegue aceitar isso já é a melhor seleção que voce pode estabelecer. Penso que alguém que não consegue lidar com isso já nem deve ser considerado sabe?

Eu mesmo já fiquei, certa vez quase namorei um, só que ele era meio psicopata sabe? kk

Beijao!

S.A.M disse...

Muito 'sabe'?

:P

Anônimo disse...

Pablo disse: Eu não teria problemas com isso. Acredito que o primeiro passo é entender se você namoraria uma pessoa soropositiva. Se você for capaz de fazer, perceberá que não é algo tão difícil. Você aceita com facilidade essa possibilidade, ou acha que o melhor seria um relacionamento soro-discordante? A limitação é terrível, mas é necessário ver se ela já não está na gente.

Alguém Por Aí disse...

Olá Gato, pois é... gostei desse termo "seleção natural".

Foxx, acho que você vai encontrar o amor de sua vida, "posivo ou negativo" e certamente será feliz, não apenas em função de seu amor, mas em função da pessoa que você é.

Olá Ro! Pois é, as vezes me sinto forte, as vezes nem tanto e a gente vai vivendo, né?! Eu não estou em busca de relacionamento, na verdade poucas vezes em minha vida estive. Gosto de ser solteiro e lido bem com isso. rsrs Mas se Deus estiver reservando, quem sou eu pra negar, né?! rs

Lobo, acho que o crescimento é, sem dúvida, uma consequencia dessa condição. Um ponto que vejo ser realmente bom. Eu (antes da contaminação) já havia ficado com dois soropositivos sabendo da condição, e isso não era problema pra mim. Nunca namorei pois a relação não foi adiante (algo muito comum em minha vida, rsrsrs). Entendo sua preocupação, e talvez hoje eu prefira um soropositivo pelas facilidades e ausência de culpa... acho que numa relação sorodiscordante eu teria medo de transmitir o HIV, mesmo sabendo de toda forma de transmissão... o medo é real. Mas certamente você já deve ter ficado com alguns sem saber... as vezes a própria pessoa não sabe (estima-se que mais da metade das pessoas com HIV não sabem da infecção).

Olá SAM, tudo bem? Eu já li vários relatos sobre início de relação em que a pessoa fala que é soropositiva e as reações são mais diversas possíveis. Eu (enfatizo que isso é uma opinião minha/pessoal e não deve ser regra) não contaria para uma pessoa que eu estivesse me envolvendo até eu ter confiança e ter certeza dos meus sentimentos por ela. Falo isso pois sei do risco "social" dessa notícia ser espalhada, como preconceito, discriminação. Então eu nunca falaria para alguém que mal conheço (a menos que acontecesse um acidente sexual, para que fosse tomada a profilaxia e previnisse uma nova contaminação - como eu já vi acontecendo também). E confiança é algo que se adquire com o tempo, né?! E quando amamos somos capazes de ver o mundo de outra forma... penso que seria até uma forma de permitir que a pessoa repense alguns preconceitos. Mas se eu soubesse que a pessoa não gostaria de se relacionar com soropositivo, certamente eu não apostaria na relação, mas também não iria me expor.

Pablo, eu sei o quão mente aberta você é. Penso que pra mim, como já falei, seria mais fácil me relacionar com outro soropositivo e por razões óbvias. Lembro-me que antes da contaminação o motivo que talvez eu tivesse para "não namorar" um soropositivo era o medo de sofrer junto todas as questões... mas isso é tão incerto como o destino de qualquer pessoa. Recentemente tive um relato de soropositivo que vive há 18 anos com o vírus sem nunca ter tido grandes problemas... obviamente, tomando a medicação.

Beijos e abraços para todos!

Paulo Braccini - Bratz disse...

recebeu meu e-mail resposta? tudo a ver com este seu post ...

Cara Comum disse...

Ai de mim que sou romântico!!!

Bom, eu não quero entrar no terreno das hipóteses de imaginar se teria ou não um namoro com alguém soropositivo porque na teoria é tudo lindo, mas não sei como seria a prática (já paguei muita língua na minha vida e não quero falar apenas pra ser politicamente correto). Não seria questão de preconceito caso eu escolhesse que não valeria a pena. Seria mais uma covardia de "encarar a parada", porque num namoro tem também o preconceito das famílias envolvidas, o "porto seguro" que um deve ser para o outro, dentre outras coisas das quais eu não sei se estaria preparado.

Mas penso que minha tendencia é de namorar numa boa qualquer pessoa que eu me envolvesse e considerasse uma pessoa bacana com a qual eu gostaria de dividir minha vida, independente de qualquer condição...

No mais, está aí um bom filtro ou, como vc diz "seleção natural"...

Tudo tem uma vantagem, né??

Abraços!!

Fred disse...

Peraí...
Numtointendendo!
Ou a vodka do meio-dia já lesou meus 3 neurônios...??!
"Você namoraria um soropositivo?" é essa a pergunta?!?
Se for, eu devolvo: "Porque eu não namoraria um soropositivo?!?!"
Olha só, fio... mais grave é o cara ter votado no Collor, ser fã do Calypso ou sofrer de falta de humor. Um vírus não é páreo pra me tirar do páreo! Mas tipo assim - como sou pessoa super meiga (meigalinha... hahaha), tu tá solteiro??? Hahahahahaha! Hugzão, man!

Mutante "h" disse...

Amigo...
Apesar das possibilidades existirem sim(feliz por isso)a vivência é q de fato nos dara melhor forma de como lidar com a questão.

Quando no inicio de 2008 eu descobri ser um "MUTANTE H" tive um bloqueio sexual nos primeiros meses..De lá pra cá (3 anos e poko)tenho tido apenas envolvimentos curtos, sem vinculo maior, com as devidas cautelas claro, por medo de vivenciar uma rejeição que se bem me conheço minaria todo progresso ao longo desse tempo de conHIVivencia.

Penso que numa relação heterossexual parece ser mais comum a sorodiscordancia, uma vez que o lado sexual não é tão decisivo quanto no meio gay. Já que em grande parte, esse coração parece bater mais entre as pernas, tamanha é a força do sexo; e muitas relações começam pela cama e a partir dela que se dará uma continuidade ou não.

Imagina nessa esfera vc conhecendo alguém e contando sobre a soropositividade, dependendo do cara é como jogar um balde de agua fria. Se ele vai te procurar pra conhece-lo melhor é quase improvavel. Ou ainda, aquele lance: de boas, podemos ser amigos!

Conheci alguém bacana, fiz com que não começamos pela cama afim de nos conhecermos melhor e sentir a confiança pra contar e correr os riscos. Ele, apesar do aparente choque inicial, mostrou se compreensivo e disposto a não fazer disso uma determinante.
Assim, eu deveria me sentir feliz neh?

Mas, nesse processo há certas "nóias" que ficam nas entrelinhas. Vira quase uma relação a 3. E eliminar esse concorrente "H" parece mais dificil que certos concorrentes Humanos.

Vamo que vamo! Abçs...

Alguém Por Aí disse...

Braccini, tudo bem? Recebi seu e-mail sim, e ainda o respoderei com a dedicação merecida. Obrigado pela intensidade de suas palavras.

Cara Comum, acho que essa questão é complexa mesma e só a vivencia (como muito bem relatou o mutante) fala por si. Lembro-me que antes da contaminação eu já havia ficado com alguns soropositivos sabendo da condição. Confesso que foi algo diferente na primeira vez o segundo eu já tava disposto a namorar mas descobri que ele era idiota a tempo. Mas como você falou é uma situação muito delicada... também não sei como serão as minhas relações daqui pra frente. Não creio que seja algo simples.

Nossa Fred!! Humm... to solteiro sim, rsrsrs. E aí?! rsrsrsrs Bom saber que aposta numa relação como essa.

Mutante, nesse momento afirmo que ninguém melhor que você para abordar essa questão. Já ouvi relatos de muitas relações e creio que deve ter sido um momento muito dificil pra você, né?!

Uma provocação: Tenho amigos negros que se sentem vítimas de preconceito quando pessoas falam "não fico com negros", eu concordo com eles; o mesmo acontece com homossexuais que se identificam com o gênero feminino ou apresentam características de tal. Vocês acham que o "não se relacionar com soropositivo" seria uma forma também de preconceito? (entendendo aqui essa última palavra como um conceito pré concebido) Ou seria medo de um risco real?