sábado

Primeiro dia pós medicação


Comecei a medicação já faz quase um dia. Confesso que foi bem menos pior do que eu imaginava. Ontem fiquei muito louco, me senti como se estivesse drogado. Tive alguns sentidos e potencializados, outros alterados. Sabe quando você olha para um lado e a sua virada de cabeça é mais rápida do que a sua visão. Adorei essa sensação inicial, exceto o fato de que quase bati com a cabeça na porta quando me levantei pra ir ao banheiro. Tava um pouco difícil passar pela porta. Tive duas crises de risos ontem conversando com o Eros pelo MSN. E olha que ele nem falou nada absurdamente engraçado. Até o próprio ato de teclar olhando as teclas do computador eu percebia de forma alterada. Confesso que gostei, talvez devido a minha ligeira queda por psicotrópicos.
Então se você descobriu que tem que começar a medicação hoje, aproveite. Não perca tempo. Essa onda é gostosinha. O ruim é que ela diminuiu muito de intensidade e agora ta parecendo o final de uma ressaca. Algo bem leve e um pouquinho enjoado mas nada demais. Estou ansioso para que chegue 23 horas para ver se o barato volta. To pensando até em dar uma volta depois da medicação, obviamente com meu primo que sabe da minha condição. Era só o que faltava... ficar viciado no remédio. Há males que vêm para o bem!
Encontrei uma curiosa e trágica matéria em que traficantes criam uma nova droga a partir dessa medicação. Confira clicando aqui!


Esse post vai em homenagem a minha eterna cantora!  Ela me entenderia!

3 comentários:

Anônimo disse...

Pablo disse: Nossa! Fiquei embasbacado com a reportagem. O ser humano é capaz de tantas coisas para fugir da realidade ou suprir necessidades. Confesso que ri em alguns trechos da reportagem, mas no geral os dependentes do retroviral estão passando uma barra. Adorei saber que o seu primeiro contato com os comprimidos foi agradável. Menos um medo a lidar. A verdade é que o medo é sempre maior que a realidade.
Detalhe para a sua eterna cantora. KKKKKKKK! Ela entenderia. KKKKKKK
Abração!

Alguém Por Aí disse...

Pois é Pablo. O medo é sempre uma realidade que tenho que lidar. As vezes ele vem mais intenso, as vezes não. Rs Um abração

Cara Comum disse...

Menos mal que experiência não foi tão desagradável, né?? ^^

Abraços!!