quinta-feira

Just like a pill


Saí de casa atrasado. Corri, meio desnorteado pela cidade, numa dúvida se iria de ônibus ou metrô. Queria evitar esse contato de qualquer maneira, mas já estava fugindo, em viagens, compromissos, solicitações de mais exames. Nada me faria ver o que estava estampado desde a primeira consulta. No fundo acho que tudo isso me deu um tempo ideal para elaborar a notícia.
Segui em direção ao metrô, mas no meio do caminho subi num ônibus. Me senti muito confuso e meio desnorteado, talvez seja pela mudança de fuso horário, talvez seja pela mudança de realidade.
Encontrar Dra. Leblon hoje foi mais um tapa na minha cara. Minha saúde está ótima, nenhum sintoma ou qualquer coisa que indique doença oportunista. Todos os exames perfeitos, mas um se manteve na mesma situação: CD4.
O que isso quer dizer? Sai da minha cabeça e entra na minha vida um dos meus maiores medos: o início da medicação.
Em meio a compras, fotos e momentos tão perfeitos, a morte de uma aliada: a esperança de ser fazer parte da pequena porcentagem de soropositivos que não necessitam da medicação.
 Saio da condição de portador de HIV para uma pessoa com AIDS. Serei notificado ao Ministério da Saúde e começarei a medicação. Tudo o que eu não queria que acontecesse agora, mas acho que não tenho muita escolha.  Foi muito triste informar o nome da minha mãe inteiro para ser cadastrado. Não queria que ela participasse disso. Ela não tem nada a ver com minhas escolhas, com meu passado, com meus erros.
Um sentimento terrível aparece... a culpa. Até hoje não me culpei, nem acredito que essa tenha sido uma escolha. O fato é que ninguém além de mim é responsável pelos meus atos, inclusives sexuais.
Serei escravo desses medicamentos até o dia da minha morte. Aposto muito na possibilidade de não ter tantos efeitos colaterais. No ringue da minha vida, a esperança e a realidade ora se confrontam, ora são aliadas. Nessa novela não sou o único autor. Espero ter cada vez mais força pra superar, levantar, cair, chorar, sorrir. Hoje é só mais um dia triste.


13 comentários:

FOXX disse...

ow, qrido
sinta-se abraçado
qria mto poder te abraçar...

Eros de Vênus disse...

Meu querido, sei muito bem o que está passando e, no meu caso, não me foi dada a possibilidade de permanecer um tempo mínimo que fosse sem os medicamentos, ainda que sentisse a minha saúde perfeita, como vc já sabe através dos meus depoimentos. Desejo-te força e mantenha a esperança sim. Não é fácil, não foi fácil pra mim passar por tudo isso também e não é para ninguém. Não vou dourar a pílula e te dizer que vc não vá sentir nenhum efeito, cada caso é um caso. A única coisa que posso lhe afirmar no momento é que, graças a Deus, não tive nenhuma reação a não ser os enjoos, nada absurdo, acredite. Não sei como será seu esquema mas, podendo escolher, prefira tomar a medicação a noite, tarde de preferência e inicie num fim de semana, assim poderá ficar mais tranquilo, sem as obrigações rotineiras. Bem...Qualquer coisa, conte comigo ok? Tem o meu email. Forte abraço carinha!

Gato Van de Kamp disse...

Deixa eu começar falando que adoro just like a pill, me faz recordar de um tempo muito gostoso da vida... Mas enfim... Vida que segue...

Então... Eu tenho trombose, q é uma doença grave tb... Fui vítima de um erro médico que deixou uma pequena sequela na minha perna.. Uma é um pouco mais grossa q a outra e tem aparecido umas manchisnhas q todo mundo diz ser imperceptível, mas pra mim é absolutamente clara... Por muitas vezes eu pensei o quanto não queria estar passando por isso, o quanto não queria ter de viver essa realidade que nem caminhei pra ela, mas... Depois que a gente cresce, a gente descobre que o "querer, poder e conseguir" da Xuxa é tão idiota quanto ela... Da pra conseguir muita coisa mesmo, mas a realidade é que o fato de vc querer muito que algo seja de uma outra forma não significa que aquilo vai acontecer.... A realidade é essa.. O lance agora é encarar... Como disse no inicio... Vida que segue!!!

Gato Van de Kamp disse...

ps. queria muito ser abraçado pelo foxx tb, comofas????

Mutante "h" disse...

Como é possivel gostar e até sentir saudades de alguem que eu nem conheço??
Pois bem isso vem acontecendo desde que tive acesso aos seus posts e hj acompanho seus relatos assim como os do Eros de Venus pq em mto me identifico com os 2... Vcs não buscam serem os "donos da verdade" nem fazem uso das frases feitas de "auto ajuda".. São humanos, com dias melhores..outros nem tanto..

Sobre a MEDICAÇÃO eu tbm não tive a chance de não fazer uso pois 3 meses pós descoberta já estava no grupo dos que usam. Dos efeitos ruins foram mais no 2 meses iniciais e hj aos 3 anos de uso não sinto efeitos colaterais, a não ser uma insonia chata q já era parceira minha e acentuou com a medicação. De resto esse caminho é assim. Vou torcer q vc passe tranquilamente por essa etapa e logo nos relate que não foi tão dificil como pensaria ser.

Abçs de seu amigo virtual q acompanha, admira e torce por vc!

Alguém Por Aí disse...

Querido Fox, obrigado por tantos abraços virtuais. Fico até feliz por ter causado uma “inveja branca” no Gato. RS
Eros, muito obrigado(primeiro por você existir) e segundo por tudo que falou. É muito bom compartilhar esses momentos e trocar essas experiências com a alguém que já passou/passa por isso. Você e o Mutante têm sido grandes parceiros nessa trajetória. Eu vou te escrever se me sentir "louco" sim.
Mutante, admito que também sinto muita saudade de vocês. Você e o Eros são exemplos pra mim de que é possível viver com essa doença e se tornaram verdadeiros amigos virtuais. Espero que nunca me abandonem, RS. Quanto a medicação eu vou tomar três medicamentos a noite após a janta. Um dos medicamentos pode causar uma sensação de estar drogado. A médica falou pra eu tomar e deitar pois nas primeiras semanas os efeitos são piores.
Gato, assim como você também adoro “Just like a pill”, embora nessa última postagem eu tenha ressignificado essa música pra mim. Obrigado pelas palavras. A realidade se impões e me faz ter que criar novas estratégias com ela. Mas sabe que ainda gosto de Xuxa... “tudo que eu fizer, eu vou tentar melhor do que eu já fiz, esteja o meu destino onde estiver, eu vou buscar a sorte e ser feliz”. Kkkkkkk

Um abraço amigos. Obrigado a todos por fazerem parte da minha história. To meio emotivo ainda.

PS.: A médica falou que eu posso começar a medicação quando eu quiser. Estou me dando mais um tempinho pra acostumar com a idéia. Quanto a lipodistrofia ela falou para eu parar de inventar coisa que não existe e que se algum dia aparecer algum sinal disso ela vai ser a primeira a me avisar. Ela me fez desmarcar um especialista que marquei. Na verdade eu nem vejo mais lipodistrofia e espero não ver nunca.

Cara Comum disse...

Cara, eu quase chorei aqui. Juro! A gente tem dessas besteiras de sentir a dor de quem a gente gosta, né? Como se isso fosse ajudar...

Olha, o que eu posso dizer é que a vida é assim e que a gente perde algumas, ganha outras e no final é tudo aprendizagem. estamos aprendendo, sempre!

E aposto que vc está bem mais forte do que era no início. Por mais que esteja se sentindo fraco agora, saiba que é só o cansaço de um peso maior. Mas que, em breve, será o motivo do seu crescimento.

Minhas palavras, claro, não vão ajudar... Mas fica o carinho registrado aqui, ok?

Grande abraço, man!!

Fred disse...

Pra cada dia triste - tenho certeza - virá um alegre pra compensar. Sempre na linha de o que não nos mata nos faz mais forte, deixo meu abraço! Boa semana!

Alguém Por Aí disse...

Cara Comum... muito obrigado pela solidariedade com a qual você expressou esse momento. Confesso que tudo está mais dificil e minha cabeça tá com um grande nó. Sei que tudo nna vida é aprendizagem, mas to meio de saco cheio de aprender... "me deixem ser burro!!" (só pra descontrair).
Recentemente vi um entrevista de Cazuza exibida no Jo, um ano antes dele morrer. Confesso que vi alí um Cazuza que não conhecia, sensivel, "fazendo tudo caber nos seus poucos dias".
Acho que tenho aprendido sim, e o que você falou é fato. Mas eu to cansado. Queria um tempo do HIV, mas ele não espera. Meu tempo é o agora. Um abração e obrigado por tudo.
Fred, obrigado pela força. Espero ansioso pelos dias alegres. Um abraço

Fred disse...

Depois vou querer saber detalhes - sórdidos inclusive - do jantar a luz de velas que tiveste contigo mesmo... hehehe! Hugz, man!

Ro Fers disse...

Puxa! Me comovi com suas palavras, com a maneira de que tu se expos, porém acredito que tu é um cara forte, otimista, que tem Fé em dias melhores...
Viva! Confie e acredite em dias melhores...
Forte abraço!

Alguém Por Aí disse...

Olá Ro Fers, muito obrigado pelas palavras. Acho que tenho fé que a medicação virá para evitar dias piores.

Fabrício Oliveira disse...

Me emocionei. Muito bom ler seu blog e acompanhar os altos e baixos de uma vida tão rica em sentimentos e questionamentos!