quinta-feira

Histórias Posithivas - Jovens com HIV: Sonhar é possível

Relatos de jovens que convivem com o HIV.



7 comentários:

Edu disse...

Mas o que não faltam são histórias positivas. E nem falo pelas dos jovens! Eu tenho amigos e amigas que convivem com o vírus há 20-17-15 anos. Bichinho mesmo namorou 1 por 7 anos (faleceu) e outro por mais 8, em seguida (Bichinho não é portador). A barra que eles enfrentaram - sem querer desmerecer nada, pelamordedeus - foi muito maior que a de agora. E estão aí, firmes, fortes e - principalmente - felizes!!

FOXX disse...

pois é... pra vc ver q nem sempre POSITIVO é algo negativo, né?

=]

Alguém Por Aí disse...

Olá Edu. Obrigado pela força. Eu mesmo, covivendo com o vírus há 4 meses posso dizer que também tenho histórias positivas. Confesso que a felicidade não é uma constante na minha vida (e é na de quem?), mas certamente hoje é menos difícil do que antes. Obrigado pelos comentários.

Foxx, condo em partes. Positivo é sempre uma merda. Mas como qualquer doença tem o ganho secundário. Tenho passado por ressignificações importatíssimas, mas não posso dizer que a AIDS mudou minha vida pra melhor (como muitos documentários dizem).

Ro Fers disse...

Interessante o vídeo, demonstra que força e vontade de viver acima de tudo, e isso é muito importante, pois se abater psicologicamente faz piorar as coisas..
Forte Abraço!

Mutante "h" disse...

Tbm tenho visto esses videos com certa frequencia e em alguns depoimentos onde alguns dizem q mudou pra melhor.. entaum eu sou do contra..pois a 3 anos de conHIvivencia e nao arrisco dizer q a minha mudou pra melhor.. nada..a busca pelo equilibrio é diaria, e nos altos e baixos dessa convivencia é q vamos aprendendo a lidar um tanto melhor cm esse inimigo intimo.. Abçc

Cara Comum disse...

Alguém por aí, mais uma vez te aplaudo. Porque acho que é isso mesmo que vc escreveu no post e nos comentários. Nenhuma experiência em si é somente negativa ou somente positiva. A gente pode sim aprender muito com tudo: coisas boas e ruins. Tudo é aprendizagem.

Não dá pra cair no extremo oposto do preconceito beirando a Poliana e dizer: "Olha que bom!!' A AIDS muda a vida da gente pra melhor!"

Tudo tem lado ruim. Casar tem seu lado ruim (abrimos mão de várias coisas...). Ser rico tem seu lado ruim (atrai mais inveja, preocupa-se mais com segurança e assalto). ter saúde tem seu lado ruim (faz a gente esquecer que a gente não tem o controle do tempo que temos de vida).

Mas o objetivo deste documentário pra mim é ir de encontro com o preconceito que existe que faz a gente ter aquela relação AIDS/morte. Tem vida em quem é soropositivo, tem vida em quem tem AIDS, tem vida em quem não tem nada disso...

O significado de cada experiência é a gente que constrói. E, mesmo assim, ainda temos a chance de reconstruir/ressignificar isso depois...

Abraços!!

Fabrício Oliveira disse...

Belos depoimentos no vídeo e nos comentários! E posso dizer que já gostava da minha vida antes, mas que depois de duas internações me sinto mais forte. Com uma sensação de que agora posso suportar qualquer coisa, nada me ofende ou abala o suficiente para arruinar meu dia, sabe? Sei que soa estranho, mas sinto que sou uma pessoa melhor e mais feliz agora.