segunda-feira

Nov-idade

É tão gostoso conhecer pessoas novas. Não que elas estejam aptas a substituir alguém, não é questão de competição. Amigos sempre ocupam seu lugar, tudo bem que alguns moram com vista pro mar, outros no quartinho dos fundos mas todos no coração. 
O mais interessante de pessoas novas é que elas são capazes de olhar pra você sem julgamento prévio. Isso é bom, mas também tem suas limitações. Será que somos os mesmos nesse primeiro momento, ou tentamos mostrar o que acreditamos ser “o melhor de nós”? Não sei, mas esse momento é fantástico. Incrível está diante do inesperado a cada fala. Muitas vezes, admito, que pessoas apenas repetem uma imagem socialmente construída para caçar, ou para se mostrar inteligente, ou para... mas ainda assim podem ser surpreendentes quando conseguem sair desse patamar comum para alcançar a autenticidade.
A convivência com o bichinho (coitado, ele é digno de pena, depende de mim pra viver) tem me feito entrar em contato com outros soropositivos. Isso tem sido realmente positivo. Tenho entrado em canais virtuais na tentativa de compartilhar experiências e conhecer um pouco esse novo mundo que agora também é meu.
Nessa conheci pessoas interessantes. Um me chamou a atenção pela luta e pelo ativismo da bandeira que levanta. Encara de frente e luta contra o preconceito levantando essa bandeira sem medo de ser feliz. Embora, nesse momento, eu prefira o anonimato por 1001 motivos, admiro muito militantes. Talvez pelo fato de já ter sido um. Acho que ainda sou.
Acho que não teria a experiência de olhar a vida positiva dessa forma se eu não fosse a comida do HIV. Acho que tudo tem seu motivo. Estou me reconstruindo.

8 comentários:

Filosofando... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Filosofando... disse...

É... Você tem uma boa percepção e, também, forma de expressá-la. Por mais que seja sutil no seu olhar crítico - que neste texto é certeiro - não deixa escapar alguns mínimos detalhes que mostram a sua clareza. Um dia serei um bom escritor, tão bom quanto você, caríssimo.

Cleverson Fleming

Ninguém por aí disse...

Nossa Cle! Suas palavras me motivam. Obrigado por construir comigo esse blog e por ter me inspirado nesse post. Vc é um bom escritor e um ótimo militante. Tua entrevista mostra o quanto está envolvido com a causa. Parabéns!

Anônimo disse...

Cris...

Claro.. Ativista gatinho eu tb elogio.... HAUhauHAUhua...

mENTIRA, TB ADORO ATIVISTA, DE TUDO QTO É CAUSA... gOSTO DE PESSOAS QUE TEM UMA CAUSA E QUE DIGAM A QUE VIERAM... Nesse caso então o rapaz é militante de todas as causas do planeta, eu diria que não diz a que veio... Ele grita a que veio e veio pra muita coisa....

Muito bom, acho uma excelente referencia pra vc... Bonito, responsável, estuda... Uhun... Boa pedida.... rsss (assinado. mamãe).. ahauhauahaua

Ninguém por aí disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Cris você não presta! Mas concordo com o que disse... "grita a que veio". Sabe aquele militante escondido em nós que o sistema transformou? Pois é, ele me visitou.

Amigo disse...

Ai,ai... Só tenho a dizer que adoro os ativistas, mesmo preferindo os “verssatilistas”. Portanto defendo que todos exercitem o seu lado “passivista”, mesmo que em poucos momentos, de carinho e devoção. Mas no fundo eu fiquei pensando nos amigos do quartinho dos fundos. O interessante é que o meu apartamento só tem dois quartos... ups! Cris matou a charada. Todo mundo adora o Cris!

Ninguém por aí disse...

Amigo... só vc... verssatilistas... kkkkkkkkkkk. Está certo disso? Não importa a posição, né?! Direita, esquerda... o importante é está em ação. kkkkkkkk Esse blog tá uma putaria! Adianto que vocês não pertencem ao quarto do fundo. rs

Amigo disse...

Rapaz, quando eu falei de quarto dos fundos eu estava me referindo a uma amiga que tenho. Já morou na avenida atlântica, de frente pro mar. Mas anda vacilando e tem que se contentar com um quarto dos fundos do meu coração e estou pensando em pedindo a vaga. Hehehe!