terça-feira

Do It



Lembro-me que há alguns anos atrás, visitando uma amiga percebi que havia uma poesia colada em seu guarda-roupa. Comecei a ler e percebi, dentro de minha natural lerdeza, que se tratava de uma música de Lenine. Lembro-me que na hora me encantei pela letra.

Aproveitando essa minha fase Lenine – talvez Lenine Novelas (Paciência, É o que me interessa e essa agora), revelo que meus amigos insistem em falar que sou ditador quando o assunto é escolha musical e Lenine sempre está no repertório. Pablo (que insiste em assinar como amigo sempre negando a minha escolha – diferente do Cris) odeia Lenine e acho que isso se dá devido minha influência.

Pois bem, essa música é uma espécie de auto-ajuda do Lenine... o que? Auto-ajuda do Lenine? Tá bom peguei pesado, mas é mais ou menos por aí. Longe de ser Augusto Cury (eeecccaa), o Lenine transmite de uma forma objetiva soluções para algumas questões. Um jogo de verbos e ações que deixa tudo mais fácil e simples. Sei que problemas complexos existem soluções complexas, mas o Lenine acertou nessa. Até sua auto-ajuda me encanta.

Como disse Paula Toler no Kid Abelha Acústico MTV: Valeu Lenine!

4 comentários:

Pablo Ney'Arruda disse...

Depois de ser forçado a ouvir Lenine milhares de vezes, um verdadeiro estupro. Mais do que normal que eu me sentisse traumatizado. Respeito o seu mau gosto, mas Lenine não. Kkkkk! Igualmente a “Los Hermanos”, principalmente hoje que meu relacionamento acabou. Ambos me levariam ao suicídio! Kkkkkk!

Anônimo disse...

Cris

Nem me fala, o blogueiro me fez tomar nojo de Tony Braxston entre outros artistas... N cheguei a tomar nojo de Lenine, mas tenho preguicinha, sabe???? Mas enfim... Q bom q tah sendo últil, bem melhor q se tivesse ouvindo Tony Braxton...

Ninguém por aí disse...

Cris, não precisa expor meu passado negro. Pablo, relaxa que esse namoro ainda volta antes mesmo de vc me ver.

Pablo Ney'Arruda disse...

Cara, ninguém leva fé nos meus posicionamentos dentro de um relacionamento. Nem eu. Hehehehe!